Nova Augusta

Compartilhe

Abrangência: Bairros e Loteamentos

Classificação: Urbanização

UM ESTUDO URBANO

  • Vitrine

    perspectiva Nova Augusta

    1 de 6

  • Vitrine

    Perspectiva ponto de encontro.

    2 de 6

  • Vitrine

    Planta e corte ponto de encontro

    3 de 6

  • Vitrine

    travessia da Nova Augusta

    4 de 6

  • Vitrine

    Planta e corte da travessia

    5 de 6

  • Vitrine

    Planta

    6 de 6

Sempre me fascinaram as possibilidades perdidas da cidade de São Paulo, como a falta de aproveitamento das visuais panorâmicas de suas ladeiras. Elaborei um estudo (“Nova Augusta”) para a região da rua Augusta, um quadrilátero definido por essa rua em seu eixo, e limitado pela Av. Rebouças, Estados Unidos, 9 de Julho e Al. Santos. Depois de contar quantas lojas de cada tipo e quantos veículos circulavam por lá, propus sua pedestrianização e o desvio de seu pequeno tráfego. Aproveitei a declividade para criar terraços que pudessem servir de pontos de encontro; enriqueci o espaço gerando estacionamento subterrâneo na Al. Tietê e em dois estacionamentos (no subsolo do lote em que hoje está o Hotel Renaissance e que desde então sugeria como hotel; e no lote hoje ocupado por um bingo) com serviço de jardineiras circulando pela área. Propus a alteração do zoneamento de modo a estimular a construção de hotéis e apartamentos pequenos, para solteiros e famílias sem filhos, para quem a região, repleta de atividades de lazer e gastronomia, seria a mais adequada.

A proposta foi recebida com entusiasmo pela mídia e pelos lojistas. Com ceticismo e desconfiança pelos técnicos da Prefeitura. E com vontade de pagar pra ver, pelo prefeito Figueiredo Ferraz! Contradizendo opinião do diretor do trânsito o Prefeito testou a idéia de manter a Rua Augusta sem veículos aos sábados e foi lá pessoalmente para verificar o resultado: foi recebido por cidadãos que o aplaudiram!